Origem do Homem
 Evolução Humana
 Tempo Histórico
 Períodos da História
 Grandes Civilizações
 Descobrimento do Brasil
 Território Brasileiro
 Três Poderes
 Guerra do Paraguai
 Guerra Fria
 Primeira Guerra Mundial
 Segunda Guerra Mundial
 Revolução Russa
 Guerra dos Canudos
 Revolução Farroupilha
 Inconfidência Mineira
 Laifis de História
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line
 Jogos On-line

 Área dos Professores
 Atualidades
 Profissão Historiador
 Dicionário de História
 História Ilustrada
 Personalidades Históricas
 Resumos

 Curiosidades
 Lendas & Mitos
 Links Úteis
 Datas Comemorativas
 Efemérides
 Hoje na História
 Indicação de Livros
 Indicações de Filmes
 Vídeos
 Textos dos usuários
 Hinos
 Mapas Históricos
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

Descoberta da causa da morte de Tutnkamon

Tutankamon morreu de malaria e de infecção óssea.

mascara mortuaria de tutankamon.jpg

Após 2 anos de estudo pesquisadores descobriram que o mais famoso faraó do Egito antigo, Tutankamon, morreu de malária e infecção óssea.

rosto de tutankamon mumificado.jpg
Rosto de Tutankamon mumificado

O estudo realizado entre setembro de 2007 e outubro de 2009  tinha inicialmente por objetivo determinar os vínculos de parentesco e de sangue, e também a existência de características patológicas hereditárias entre Tutankamon e as outras 10 múmias analisadas, sendo estas, aparentemente  membros da família real da XVIII dinastia, explica Zahi Hawass, membro do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito, responsável pelas antiguidades egípcias no museu do Cairo e principal autor do estudo.

 Ao utilizarem vários métodos científicos como tomografias e análises do DNA da múmia do faraó, encontrada em 1922, na realização deste estudo, os pesquisadores chegaram a conclusão que o jovem e lendário faraó Tutankamon, que morreu de forma misteriosa aos 19 anos de idade e  há mais de três mil anos, tinha a saúde frágil e uma rara doença que enfraquecia os ossos, o estudo revelou ainda que dias antes de morrer o faraó sofreu uma queda e fraturou a perna esquerda.

"Estes resultados permitem pensar que uma circulação sanguínea insuficiente dos tecidos ósseos, que debilitou e destruiu parte da ossatura, combinada com malária, foi a causa mais provável da morte de Tutankamon", explica Zahi Hawass, com trabalhos divulgados no jornal da Associação Médica americana (Jama) na edição de 17 de fevereiro.

A partir dos exames realizados foi revelado que a família de Tutankamon  possuía uma série de más-formações, como a doença de Köhler que destrói as células ósseas e, também a presença de genes vinculados ao parasita Plasmodium falciparum, responsável pela malária em quantro múmias estudadas, entre elas a de Tutankamon.

No meio científico o estudo parece abrir as portas a um novo enfoque de investigação em paleogenômica do período faraônico e genealogia molecular.

 

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale conosco

Copyright © 2009-2017 Só História. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.