Origem do Homem
 Evolução Humana
 Tempo Histórico
 Períodos da História
 Grandes Civilizações
 Descobrimento do Brasil
 Território Brasileiro
 Três Poderes
 Guerra do Paraguai
 Guerra Fria
 Primeira Guerra Mundial
 Segunda Guerra Mundial
 Revolução Russa
 Guerra dos Canudos
 Revolução Farroupilha
 Inconfidência Mineira
 Laifis de História
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line
 Jogos On-line

 Área dos Professores
 Atualidades
 Profissão Historiador
 Dicionário de História
 História Ilustrada
 Personalidades Históricas
 Resumos

 Curiosidades
 Lendas & Mitos
 Links Úteis
 Datas Comemorativas
 Efemérides
 Hoje na História
 Indicação de Livros
 Indicações de Filmes
 Vídeos
 Textos dos usuários
 Hinos
 Mapas Históricos
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

Hermes da Fonseca


Militar gaúcho (1855-1923). É o sexto presidente da República e governa entre 1910 e 1914.

 

Hermes Rodrigues da Fonseca (9/5/1855-9/9/1923) nasce na cidade de São Gabriel, na mesma família do primeiro presidente do país, marechal Deodoro da Fonseca, de quem é sobrinho. Estuda na Escola Militar, onde é aluno de Benjamim Constant. É capitão ajudante-de-ordem do tio quando da proclamação da República. Participa da causa desde 1878, como um dos fundadores do Clube Republicano do Circulo Militar, responsável pela articulação do movimento que derruba a monarquia. De 1899 a 1904 comanda a Brigada Policial do Rio de Janeiro. É comandante da Escola Preparatória e Tática do Realengo quando chega a marechal, em 1906, nomeado pelo presidente Rodrigues Alves. Indicado para o cargo de ministro da Guerra do governo Afonso Pena, reorganiza o Exército e introduz o serviço militar obrigatório (1908). É eleito presidente em 1910, com o apoio dos conservadores. No governo, pratica uma política chamada por ele de salvacionista, que pretende recuperar para os militares a influência já exercida anteriormente na esfera pública brasileira. Em 1913, aos 58 anos e ainda na Presidência, casa-se com Nair de Teffé, de 27, filha do almirante Antônio Luís Hoonholtz, o barão de Teffé. Após deixar o poder, em 1914, Hermes da Fonseca envolve-se em diversos incidentes políticos, entre eles a Revolta do Forte de Copacabana (1922), que o leva à prisão por seis meses. Libertado, retira-se para Petrópolis, onde morre poucos meses depois.

 

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale conosco

Copyright © 2009-2017 Só História. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.