Origem do Homem
 Evolução Humana
 Tempo Histórico
 Períodos da História
 Grandes Civilizações
 Descobrimento do Brasil
 Território Brasileiro
 Três Poderes
 Guerra do Paraguai
 Guerra Fria
 Primeira Guerra Mundial
 Segunda Guerra Mundial
 Revolução Russa
 Guerra dos Canudos
 Revolução Farroupilha
 Inconfidência Mineira
 Laifis de História
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line
 Jogos On-line

 Área dos Professores
 Atualidades
 Profissão Historiador
 Dicionário de História
 História Ilustrada
 Personalidades Históricas
 Resumos

 Curiosidades
 Lendas & Mitos
 Links Úteis
 Datas Comemorativas
 Efemérides
 Hoje na História
 Indicação de Livros
 Indicações de Filmes
 Vídeos
 Textos dos usuários
 Hinos
 Mapas Históricos
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

Ernesto Geisel


Militar gaúcho (1907-1996). Quarto presidente da República depois do golpe militar de 1964, governa entre 1974 e 1979.

 

Ernesto Geisel (3/8/1907-12/9/1996) nasce em Bento Gonçalves, filho de alemães da Baviera, protestantes luteranos. Estuda no Colégio Militar de Porto Alegre, onde se forma em 1924 como primeiro aluno da turma. Segue a carreira militar e chega a general-de-brigada em 1960. Promovido a general-de-divisáo em novembro de 1964, ocupa a chefia da Casa Militar no governo Castello Branco. Em 1969 assume a direção da Petrobrás e, cinco anos depois, a Presidência da República. Durante seu governo enfrenta o fim do chamado milagre econômico, com a redução do crescimento e a alta da inflação. Para superar esse quadro desfavorável, agravado pela vitória expressiva da oposição nas eleições parlamentares de 1974, apresenta seu projeto de abertura política "lenta, gradual e segura". Nas eleições de 1976 impede o debate político no rádio e na TV com a Lei Falcão. Em 1977 altera as regras eleitorais ao decretar o chamado Pacote de Abril, que aumenta o mandato presidencial de cinco para seis anos, mantém as eleições indiretas para governador e cria a figura do senador biônico, também escolhido indiretamente para garantir ao governo a necessária maioria parlamentar. Termina o mandato enviando ao Congresso a emenda constitucional que acaba com o Ato Institucional Nº 5. Morre no Rio de Janeiro.

 

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale conosco

Copyright © 2009-2017 Só História. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.